Investigação de incidentes e acidentes de Trabalho – O porquê de uma plataforma operacional

Posted 6/8/2015

No mundo empresarial moderno, a prossecução de resultados tem necessidade de desenvolver uma sensibilidade acrescida às atividades diárias que comportam risco, logo a gestão de risco é um importante fator de competitividade no quetoca ao sucesso empresarial.

A investigação de incidentes e acidentes torna-se pois um elemento essencial para a determinação dos níveis de risco existentes nas operações das organizações. A essência do controlo de perdas manifesta-se na correta investigação das causas dos incidentes e acidentes de Trabalho (IIAT) com a apropriada melhoria contínua e adequado envolvimento da gestão. Compreende-se que a IIAT se reveste de uma importância acrescida para as organizações que pretendem ser competitivas. 

Segundo Vincoli “Uma investigação de acidentes é um esforço metódico para recolher e interpretar factos. É um olhar sistemático à natureza e extensão do acidente, dos riscos assumidos e das perdas envolvidas. É um inquérito ao como e porquê da ocorrência de tal evento. Como uma das funções básicas da investigação de acidentes é prevenir a ocorrência futura de eventos similares, é também um processo de planeamento para explorar as ações que podiam ter sido tomadas para prevenir ou minimizar a recorrência do acidente.” 

Para que a IIAT possa ser uma ferramenta tão produtiva quanto possível para a gestão, é necessário que primeiro sejam estabelecidos os parâmetros dentro dos quais essa mesma investigação deve decorrer, é essencial que exista um modelo operacional que potencie os ganhos de eficiência e eficácia, e que permita obter resultados dentro dos constrangimentos e realidades encontradas.

Se tomarmos como referência Jeffrey W. Vincoli e James Thornhill, poderemos verificar que ambos sustentam a mesma relevância na necessidade de preparação e existência de um modelo operacional de IIAT que possibilite ganhos de eficiência e de tempo aquando da ocorrência de incidentes ou acidentes. Para Thornill “É sempre uma boa ideia ter termos de referência acordados antecipadamente, quer para a investigação de acidentes quer para o relatório final” Segundo Vincoli “Assim que os procedimentos estiverem desenvolvidos, todos os possíveis membros de uma equipa de investigação (incluindo todos os membros da gestão) devem familiarizar-se inteiramente com os conteúdos de cada procedimento para que não haja lugar a surpresas imprevistas, caso uma equipa de investigação seja chamadanum futuro próximo”.

Assim a tradução de um protocolo de investigação torna-se essencial no enquadramento da Higiene e Segurança no Trabalho, bem como a sua disseminação e consequente formação dos Técnicos e dos Técnicos Superiores de Segurança no Trabalho.

Referências:  Thornill, James. (2011). Accidents: Causes, Investigation and Prevention. Suffolk. Arima Publishing.